Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eu e o mundo

As minhas impressões, opiniões e outras coisas acabadas em ões sobre o mundo, pelo menos o mais próximo de mim.

Eu e o mundo

As minhas impressões, opiniões e outras coisas acabadas em ões sobre o mundo, pelo menos o mais próximo de mim.

2012

Numa perspectiva mais geral eu diria que o melhor de 2012 foi conseguir sobreviver até hoje, dia 20 e com um bocadinho de sorte mais onze dias até ao final do ano.

Aprofundando um pouco as minhas reflexões sobre este ano...

O melhor é a minha família, sem dúvida. Lamechas? Talvez, mas é o que sinto.

O meu marido, as minhas filhas, a filha dele, o neto dele, a minha gata... tudo gente que faz parte do meu mundo e que o torna muito melhor e menos agressivo do que o que nos rodeia.

O melhor de 2012 foi a entrada das minhs filhas na faculdade, o sentir que estão felizes, embora longe de casa, e que estão a gostar dos cursos, memso que as perspectivas de futuro não sejam animadoras.

O melhor de 2012 foi continuar o meu trabalho, de que gosto muito, conhecer pessoas, afirmar-me e começar a deixar de estar tnato na sombra dos outros. Começo a ter menos pudor em utilizar a palavra jornalista para me definir profissionalmente. Aos poucos, devagarinho, mas começo.

O melhor é poder continuar a passar horas na minha cozinha no meio dos meus tachos, panelas, frigideiras, woks, formas e forminhas, cortantes e outras coisas que tais.

O melhor é olhar pela janela e ver o sol, que nem o primeiro ministro consegue afugentar de Portugal.

O pior é sentir que existe cada vez mais gente que passa muito mal, que tem muitas dificuldades e que não tem o que dar de comer aos filhos.

O que me marcou mais durante este ano foi a tristeza no rosto das pessoas. Os portugueses estão tristes, os semblantes carregados, os olhos murchos.

A falta de civismo, de respeito pelos outros, de delicadeza e a quase extinção do cavalheirismo, uma coisa tão apreciável e que está a cair em desuso.

O meu ano foi bom. Não ganhei o euromilhões ne coisa do género.

Foi bom porque tenho o que comer e que dar de comer aos meus, tenho saúde e energia para continuar a lutar pelo meu futuro e pelo dos meus, porque tenho um tecto e porque continuo a ser eu.

Acima de tudo por continuar a ser eu. Defeitos, qualidades, virtudes, dramas, alegrias, tristezas e tudo o que faz a vida de um ser humano.

Que venha 2013. Sem medos. como se diz no Ribatejo: "He touro lindo!"

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D