Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eu e o mundo

As minhas impressões, opiniões e outras coisas acabadas em ões sobre o mundo, pelo menos o mais próximo de mim.

Eu e o mundo

As minhas impressões, opiniões e outras coisas acabadas em ões sobre o mundo, pelo menos o mais próximo de mim.

Eu tenho um Gumelo

Ainda pensei se devia partilhar o meu Gumelo aqui ou no blog de culinária (já agora passem por lá http://comidadatiagracinha.blogs.sapo.pt/), mas depois decidi que este era o sítio mais indicado.

O meu Gumelo foi-me oferecido no Natal. Olhei para a caixa de cartão, achei-a gira e comecei a ler as instruções. 

Tenho que confessar que quando retirei a janela e cortei a película não tinha grande fé na coisa - Uma caixa a dar cogumelos!

Eu sou alentejana e na minha terra os cogumelos, a que chamamos tortulhos nascem debaixo dos sobreiros, na humidade que fica debaixo das folhas no chão. Mas pronto! Como me tinham oferecido o Gumelo, abri a caixinha e segui as indicações. Comecei a borrifá-lo e decidi deixá-lo na varanda da cozinha, embora protegido das intempéries. Ao fim de uns dias em que francamente só ia à varanda para o borrifar comecei a notar alguma atividade nas aberturas da película. Pelo sim, pelo não recolhi-o na cozinha, achei que era mais confortável para o dito cujo.

De repente e quando nada o fazia prever o Gumelo começou a crescer a olhos vistos e a última foto tirada uns dias antes de cair literalmente de maduro é esta:


E esta:



São maravilhosos, não são?

O meu estava em cima do frigorifico e com o peso dos Gumelos a caixa não aguentou e um dia de manhã quando entrei na cozinha estava o meu querido Gumelo no chão todo despedaçado. Mas comestível. 

Apanhei-o do chão, lavei-o e cozinhei-o como se costuma fazer na minha terra, tipo mioleira, com cebola, miolo de pão e ovo e posso garantir que é delicioso.

Olhei para a caixa e fiquei a pensar se devia guardar aquilo. Entretanto já me tinha informado sobre o Gumelo em gumelo.com, mas como o meu não tinha sido colhido pelas vias tradicionais, pensei que ele não voltasse à vida.

Guardei-o na mesma e de vez em quando borrifava-o (o borrifador vem junto com a caixa do Gumelo) e na segunda feira passada o meu Gumelo ressuscitou. E está a crescer a olhos vistos outra vez.

Fiquei mesmo feliz e entretanto já encomendei mais quatro Gumelos no site para abrir com intervalo de uma semana e ter sempre produto fresco. 

A ideia do Gumelo foi de três jovens que têm preocupações ambientais e que conceberam este conceito a partir da utilização de borra de café. Ecológico, simples, divertido e muito saboroso.

Para além disso prevejo que aqueles três o mais certo é que fiquem ricos à conta do Gumelo. E acho muito bem. É uma ideia excelente, prática e ecológica. Eles recolhem borra de café em alguns cafés e restaurantes e convertem-na em Gumelos.

Maravilhoso. 

Muitos parabéns aos três pela ideia e desejo que tenham de facto muito sucesso. 

De resto só tenho a recomendar que visitem o site da marca - gumelo.com ou a página do Facebook: Gumelo.

E experimentem. Garanto que vale a pena.

Gumelam?


Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D