Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eu e o mundo

As minhas impressões, opiniões e outras coisas acabadas em ões sobre o mundo, pelo menos o mais próximo de mim.

Eu e o mundo

As minhas impressões, opiniões e outras coisas acabadas em ões sobre o mundo, pelo menos o mais próximo de mim.

De quando elas era muito pequeninas...

Ultimamente tenho andado a divertir-me imenso a ler o blogue "Pais de Quatro", do jornalista João Miguel Tavares, que me faz rir à gargalhada com as aventuras de dois adultos que vivem com quatro crianças.

E que me tem feito recordar muitas coisas de quando as minhas filhas eram pequeninas. Tenho imensa pena de que ainda não existissem blogues nessa altura e que a internet estivesse a dar os seus primeiros passos.

Ontem e depois de receber uma mensagem de uma amiga a propósito dos grafittis da filhota na parede do quarto, lembrei-me da minha maneira de ultrapassar o problema.

As minhas filhas têm 29 meses de diferença e portanto o disparate era comum às duas, com a agravante de que quando a mais nova inventava uma asneira, a mais velha mesmo que já soubesse que não devia, ia atrás. Sempre podia culpar a irmã, que no fundo era para isso que ela achava que a criança servia.

Então no quarto delas havia uma parede forrada para aí até meia altura com papel de cenário, onde elas podiam manifestar a sua criatividade à vontade. E elas cumpriam. Nunca riscaram sofás, paredes sem papel, etc. Eram muito felizes com os lápis de cera (que a mais nova também comia de forma muito aplicada, o que deu origem a várias fraldas com um toque de criatividade), com as canetas de feltro, etc.

E vivíamos todos muito felizes. 

Quando íamos a casa de alguém, elas entravam, observavam o ambiente e primeira pergunta:

- Onde é que é a 'paiede' de 'pintai'?

Perceberam?

Para elas era ponto assente que toda a gente tinha em casa uma parede onde se podia pintar. Uma casa sem parede de pintar? como é que era possível?

Modéstia à parte, acho que de todas as ideias brilhantes que eu tive para ir sobrevivendo quando elas eram masi pequenas esta foi mesmo de génio.

Modéstia muito à parte, claro.


3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D