Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eu e o mundo

As minhas impressões, opiniões e outras coisas acabadas em ões sobre o mundo, pelo menos o mais próximo de mim.

Eu e o mundo

As minhas impressões, opiniões e outras coisas acabadas em ões sobre o mundo, pelo menos o mais próximo de mim.

Duodécimos e o meu recibo

É a palavra do momento - Duodécimos!
E até sou capaz de apostar que muita gente a aprendeu nas últimas semanas. Os duodécimos invadiram a nação e andam por aí a conquistar o seu território.
Eu confesso que não tomei nenhuma decisão sem primeiro ver o impacto das novas medidas do Coelhinho e do seu melhor amigo, Gasparzinho, no meu recibo.
Mas confesso igualmente que estava aterrorizada com a ideia de olhar para o meu recibo deste mês e ver em quanto é que o meu orçamento ia ficar reduzido. É que isto de ser mãe e pai, com duas filhas na faculdade não ajuda nada à paz de espírito e tranquilidade financeira de ninguém. Mas adiante…
Portanto lá recebi, como de costume, o meu recibo por mail e andei três dias a arranjar coragem para abrir o ficheiro. E eu nem me considero uma pessoa cobarde. Mas há coisas que quanto mais tarde as soubermos melhor para o nosso coração. E o meu já resistiu a muito choque e já não via para novo.
Ao fim de três dias, perguntei a mim mesma: “Tu és uma mulher ou és um rato?”. E embora me apetecesse imenso responder: “Sou um rato!”, tive de enfrentar a dura realidade.
Estava mesmo à espera de ter de chamar o INEM por me sentir mesmo mal depois de ver o recibo, mas tenho de confessar que o impacto não é assim tão mau como isso. Pronto, é verdade que vou receber menos do que recebia, mas não tão menos como estava à espera. Também tenho que admitir que estava à espera do pior.
Por isso, e sem conselho fiscal, tomei a decisão que anda toda a gente a tomar por estes dias. Vou deixar os meus subsídios para os meses de direito, porque é para essas alturas que o meu orçamento anual está estruturado e é nessas alturas que eles me dão jeito.
No verão para pagar a primeira parte das propinas das minhas filhas e o do Natal para pagar a outra parte e comprar os presentes de Natal. Que este ano foram reduzidos ao mínimo, o que até foi bom, cansei-me menos e gastei menos dinheiro. E para quem eu queria mesmo oferecer presentes preparei uns cestinhos de Natal amorosos com biscoitos e bolachas e compotas feitas por mim e toda a gente gostou. Ou pelo menos disseram que tinham gostado e eu quero acreditar que é verdade.
Voltando aos duodécimos. Se eu optasse por receber o dinheiro mensalmente é certo e sabido que dificilmente chegaria ao mês em que necessitasse com ele em stock. Talvez conseguisse durante uns meses, mas a verdade é que é muito humano ir ajustando o orçamento à medida do dinheiro que recebemos e assim evito confusões.

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D